Implementos Rodoviários
Conheça como os nossos equipamentos ajudam a este segmento tão importante para o país
  • gallery-item

    Talhas de cabo ABUS funcionando de modo sincronizado.

  • gallery-item

    Sistema tandem em funcionamento nas pontes rolantes ABUS.

Gruas ABUS Na Randon Implementos

Otimizar a logística de cargas em um país com dimensões continentais, como o Brasil, não é uma tarefa fácil. Um dos primeiros modais que recebeu incentivo do governo brasileiro foi o transporte rodoviário, ainda durante a República Velha (1889). E atualmente este continua sendo o principal sistema logístico do país. A 4ª maior rede de estradas e rodovias no mundo é a brasileira, com 1,8 milhões de quilômetros. Por isso, a área de implementos rodoviários se mostra tão importante no Brasil.

Os primeiros investimentos na infraestrutura rodoviária iniciaram-se na década de 1920, no governo de Washington Luís. A Rio-São Paulo – mais famosa rodovia brasileira – foi construída alguns anos mais tarde, em 1926. Durante um longo período, até 1940, se destacou por ser a única pavimentada no Brasil.

A instalação das grandes fabricantes de automóveis no país, por sua vez, teve como um de seus grandes incentivadores o presidente Juscelino Kubitschek (1956-1961).

Durante o seu governo, instalaram-se no país a Volkswagen, a Ford e a General Motors. E um dos pontos utilizados para atrair estas empresas foi justamente o apoio à construção de rodovias. Na época esta atividade era símbolo de modernidade.

No entanto, ainda hoje cerca de 30% de toda a extensão da malha viária brasileira está muito danificada pela falta de manutenção. Apenas 96.353 quilômetros estão pavimentados.

Neste cenário, surgiram empresas especializadas em melhorar as formas de transportar cargas para as diversas regiões do país. Com isso, os veículos, reboques e semirreboques ganharam mais resistência e segurança para enfrentar as estradas.

A empresa

A Randon S\A Implementos e Participações, situada na cidade de Caxias do Sul, no estado do Rio Grande do Sul, é a maior fabricante de reboques e semirreboques da América Latina.

Eles já venderam mais de 400 mil unidades. Também são os responsáveis por cerca de 70% das unidades exportadas a partir do Brasil. Isso revela a sua importância na história da expansão do transporte rodoviário de cargas no País.

A empresa fabrica diferentes tipos de implementos rodoviários, dentre os quais reboques, semirreboques e carrocerias. Há, ainda, unidades industriais na cidade de Chapecó, no estado de Santa Catarina, e na cidade de Rosário, na Argentina.

No Brasil, eles possuem uma rede de distribuidores localizados em mais de 80 pontos do país. A empresa também marca presença em mais de 70 países.

Já exportou mais de 63 mil unidades de produtos projetados e desenvolvidos de acordo com as exigências locais de transporte de cada região.

Os Projetos

A fabricação dos implementos rodoviários conta, ainda, com sistemas logísticos internos. O objetivo era melhorar o fluxo de materiais e otimizar a produção. E foi justamente quando surgiu esta necessidade, de alterar o fluxo de um processo já existente, que a Randon rapidamente procurou a Ciriex ABUS Sistemas de Elevação pela sua expertise em Projetos de Logística Interna.

Segundo Gustavo Trentin, analista de engenharia de processos da Randon Implementos, assim que a empresa apresentou a necessidade, foram sugeridas alternativas que atendessem aos requisitos necessários. “Isto foi muito importante para o sucesso do projeto”, garante. A ideia era realizar o acoplamento entre o chassi e a caixa de carga pós-pintura.

A alteração no fluxo produtivo demandou a estruturação de uma nova área, denominada Área de Acoplamento.

“Anteriormente, o acabamento se dava com o produto montado (chassi + caixa de carga), fazendo-se necessário o processo de isolamento entre as partes para a realização da pintura. Com a implementação desta nova área, o acoplamento entre as partes ocorreu após o processo de pintura, eliminando o isolamento, aumentando a produtividade e a qualidade do produto final”, explica Gustavo.

A escolha do fornecedor

Entre os fatores que contribuíram pela escolha do fornecedor ideal para este projeto, de acordo com Gustavo, destacam-se:

O atendimento técnico diferenciado,

A fácil manutenção dos equipamentos ABUS,

A agilidade nas entregas,

A disposição dos técnicos da Ciriex para entender a real necessidade da empresa,

A apresentação de uma proposta comercial plausível perante a outros fornecedores de sistemas de movimentação e, por fim,

A confiabilidade quanto a segurança e qualidade das operações realizadas com os equipamentos da marca ABUS.

“Os equipamentos ABUS são um grande aliado no atendimento das necessidades que as linhas de produção precisam para suprir as demandas dos nossos clientes internos e externos”, enfatiza Gustavo.

Os equipamentos

Fornecemos duas pontes rolantes univiga com capacidade para 12.500kg. Além delas, entregamos mais quatro talhas elétricas de cabo de aço, cada uma de 6.300kg.

As talhas podem operar individualmente ou através do sistema sincronizado. Da mesma forma, as pontes rolantes podem funcionar individualmente ou em tandem (sistema sincronizado entre pontes rolantes).

As duas alternativas proporcionam maior segurança na movimentação de materiais e a alocação precisa da caixa de carga sobre o chassi. Todas as análises prévias fazem parte da rotina para chegar a excelência dos projetos da marca.

Nos últimos 16 anos, a Ciriex forneceu para o Grupo Randon diversos equipamentos. Foram diversos projetos que contemplaram 62 talhas elétricas de cabo de aço, 113 talhas elétricas de corrente, 19 conjuntos de pontes rolantes e 12 conjuntos de sistemas HB (pontes rolantes modulares).

Equipamentos utilizados:

ponte rolante biviga ABUS
Ponte Rolante
Talha de cabo ABUS
Talha de Cabo
Talha de corrente ABUS
Talha de Corrente
Sistema HB ABUS
Sistema HB

Conheça outros cases: